sábado, 1 de setembro de 2007

Pra todas as horas


Saudades...

Ainda lembro do pulo que eu dei do sofá quando meus pais me acordaram com meu "presente" novo... Lembro das dificuldades e da vontade de desistir logo no começo. Da primeira música. Da vez em que quase chorei de raiva por não conseguir tocar aquela música mais difícil. Da vez em que quase chorei de desespero quando derrubei ele no chão. De tardes e tardes na frente das caixinhas de som tentando tirar minhas primeiras músicas. De quando, depois de dois anos, o tirei de trás da cômoda pra voltar a tocá-lo.

Essa caixa velha de madeira, com o pior som possível e as cordas mais velhas do mundo foi quem me ensinou limites, me ensinou o quanto posso ser persistente e dedicado. Não só isso: ele esteve do meu lado durante meus melhores dias. Ele faz parte da minha história.

Mas é só um violão, e talvez ninguém entenda o porquê dessa idolatria toda.

Às vezes eu penso que amar a música deixa a gente meio bitolado. rs





Ouvindo:

Leoni e Leo Jaime - Fotografia




"Nessas horas dorme longe a lembrança... De ser feliz..." (8)
[]'s

2 comentários:

Juliana disse...

Um instrumento nos traz muuuuuuias dificuldades, muitos desafios, às vezes preguiça e às vezes coragem (y). Mas assim como você disse e acima de tudo, ele nos ensina muita coisa. Ensina a ter paciência, persistência, disciplina... Aí só nos resta amá-los... ahuhauhauhuahau

E você tem razão, amar música deixa a gente meio bitolado mesmo, mas eu ainda não tive nenhum problema por causa disso... ahuahuhauhua


[ah, eu entendo sua idolatria =D ]

beijo!

Ji... disse...

Hummm...
Adoro essa música... Gostei do teu blog guri!!!
Bjos...