quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Contra a música inútil



Vou escrever esse texto sabendo que cairei em contradição, mas me deu vontade de falar sobre o assunto.
Eu sou contra "intolerância musical". Não é porque fulano gosta de axé que eu vou crucificá-lo, assim como não espero que apareça algum sertanejo pra falar que rock é música de doido. Mas sinceramente eu não entendo a razão de existir de alguns estilos de música, em especial o rap, e quando digo rap, não estou falando da ideologia da qual ele surgiu, mas sim no que foi transformado durante o tempo. O rap deveria ser um gênero de critica social, pois foi um estilo surgido nas periferias. No entanto, se tornou simplesmente um meio de incentivo à violência, às drogas e ao crime. Nos Estados Unidos ganhou conotação pornográfica e serve apenas para meia dúzia de babacas mostrarem que saíram da favela e que agora são ricos e estão armados até os dentes prontos pra qualquer briga (lógico que sem arma essa "macheza" iria lá em baixo).
Mas o pior mesmo é ver que nada é feito pra extingüir de vez essas porcarias. Deixam que esses marginais com um microfone incentivem milhares de jovens a tomarem o rumo do crime. É claro que isso é questão de caráter também, mas quanto mais incentivo tiver, mais propenso esses jovens estarão a entrarem pra vida criminosa.

Outro dia um apresentador foi roubado e escreveu uma carta reclamando da falta de segurança. Como resposta ganhou uma outra carta de um rapper que dizia que o cara que o roubou podia ter feito isso por necessidade. Faça-me o favor! Não que eu seja a favor de uma pessoa andar com um relógio de 10 mil reais no pulso enquanto tem gente passando fome, mas se ele trabalhou pra comprar aquilo, ninguém tem o direito de tomar dele.
Nos Estados Unidos, como já falei antes, o rap é quase tão medíocre quanto aqui. O rapper faz uma parceria com alguma musa da black music, grava uma música praticamente chamando-a de "minha p***" e a cantora se sente honrada em esfregar a bunda na cara do cidadão e comprovar que o que ele fala não é nenhuma mentira.

O rap só não deveria ser extinto porque ainda existem caras que merecem respeito. Gabriel, o pensador, é um exemplo disso, pelo menos pra mim. Quem dera se todos os artistas fossem engajados e preocupados com a política como ele, tentando sempre abrir os olhos do povo pra porcaria que o nosso país é, politicamente falando. Pra esse cara sim eu bato palma, pois mesmo sendo discriminado no mundo do rap (por ser branco e rico, e não preto e favelado, como manda a "regra"), nunca deixou de criticar e fazer o seu trabalho sem medo de censura ou do preconceito que sofre no meio musical. Não nego que eu vou comemorar MUITO quando a polícia entrar num show desses pseudo-críticos-do-sistema e botar todo mundo no xilindró.
A sociedade agradece.

É tanta coisa pra falar que se eu escrevesse tudo ninguém leria. Aliás, do jeito que está já é cansativo, mas tudo bem, eu só precisava mesmo manifestar a minha indignação depois de ouvir uma música absurda hoje.
---------------------------

Ouvindo:
Oasis - D'yer wanna be a spaceman?
Essa música não só é linda pelos backing vocals, mas também pela letra. Uma mensagem bem bacana. Vou colar um trechinho. :D


"All the dream stealers

Are lying in wait

But if you wanna be a spaceman

It's still not too late"

[]'s

3 comentários:

Patrícia disse...

show de bola!
Selecionar o que realmente pode acrescentar algo a nós, é mais do que obrigação, é qualidade de vida.
;)
beijos

Eu... e os Cogumelos também disse...

Concordo plenamente. Não só acontece com o rap, mas muito estilo de música é "banalizado", digamos assim. Inventam uma regra, todos seguem a regra cegamente e nem pensam se a letra da música está de acordo com os próprios princípios. Um exemplo é uma moça que quer o respeito do namorado enquanto canta "sou cachorra". O Rap não deveria ser usado para espalhar o sexo e o crime, mas para protestar sobre coisas inadmissíveis para a sociedade.

e tenho dito
xD

Anônimo disse...

Vc sabe tanto do assunto, q colocou a foto de um dos rappers norte americano mais politizados que existe no momento! tente pelo menos escutar a musica e se vc acha que sabe muito devera intender o que ele ira falar no som "Hip Hop Police"
Primeiro estude os fatos pra poder falar e apresentar num via que é tao vista...